28 de fev de 2011

FUTEBOL E OPINIÃO

FUTEBOL LOCAL

Mário Cobé, Ninho, Tôco e Dadá
Depois de ter sido considerado um dos destaques do Regional de Futebol do Mato Grande (em 2010), pelo Vitória do Xavier, e receber a medalha de Atleta Ouro, nos Jogos dos Industriário (pela DVN Vidros), o atleta poçobranquense Ninho Cobé vem chamando a atenção também dos clubes amadores da região. O jovem atleta, revelação do futebol de Poço Branco, garimpou mais um título. Desta vez foi pela equipe do São Caetano, do distrito do Riacho, município de Taipu. Além do título, Ninho foi considerado o destaque da competição e peça chave da equipe do São Caetano. A equipe conquistou pela primeira vez um título municipal em Taipu ao vencer o Palmeiras de Morada Nova, por 2 a 0.

Equipe da transmissão de rádio: Junior Caju, Junior Taipu, Erivan, Rogério Fernandes, Dedé, Eudes e Nilson
O Coordenador de Esportes de Poço Branco, Junior Caju, convidado pela equipe de esportes da Rádio Estrela do Norte para comentar a transmissão da partida final do campeonato de Taipu, enfatizou a importância da valorização e do reconhecimento de atletas da terra: “Estou muito feliz em ver outro atleta da nossa terra se destacando em outras cidades. Isso é muito importante para o esporte de Poço Branco porque fortalece, cada vez mais, o nosso futebol e incentiva outros atletas a buscar a mesma oportunidade”.

OPINIÃO

Gostaria de saber do nosso Carnaval de Poço branco e quais são as atrações para este ano. Serão boas? O Carnaval na barragem, nosso maior e único ponto turístico, vai ser explorado pelos nossos foliões? E neste ano vai voltar o trio elétrico com Dedé, o baixinho, que é moral cantando em cima e puxando a multidão da barragem para a praça? Ou vai ser igual aos últimos anos? Será um Carnaval fraquinho e animado só com a vontade e a alegria do nosso povo? Será que a nossa cidade está perto de voltar aquele velho Carnaval dos clubes? Que pena que agente não tem mais aqueles grandes carnavalescos do passado - como Chiquinho Gonçalo, Bernardo e muitos outros que já se foram.

O Carnaval de Poço Branco é uma data que reúne amigos, que estão distantes, em busca de oportunidades de lazer. É coisa de quem ama a sua terra. Será que nossos administradores não percebem que esta festa faz o povo esquecer o muito que ainda falta fazer em nossa terra? O aniversário de nossa cidade foi comemorado com uma grande banda, foi um mega show. Que pena que a festa foi em uma segunda-feira, pois boa parte de nossa população já tinha deixado a cidade. Neste ano, estão comentando sobre outro mega show com a Banda Aviões do Forró, que será numa terça-feira. Por que não no sábado? Assim dava para reunir uma quantidade maior de poçobranquenses, pois existe mais deles trabalhando fora do que na própria cidade. Como leitor do nosso Blog, vou ficar muito feliz em ver essa mensagem postada nesta revista eletrônica que vejo diariamente. Um grande abraço ao meu amigo Daniel.

Alexandre Bodinho (Fortaleza-CE).

27 de fev de 2011

NOTÍCIAS GERAIS

CAMPEONATO DE BLOCOS

Após o final de sua 1ª fase, o IV Campeonato de Blocos de Futsal de Poço Branco terá prosseguimento com os confrontos das quartas-de-finais. Os jogos têm conseguido promover o esporte local, dar oportunidade de participação aos blocos e têm sido uma boa opção de lazer para os desportistas locais. Com o ginásio quase sempre lotado, o campeonato já se tornou uma verdadeira prévia carnavalesca da cidade. A partir das 20h, desta segunda, no Ginásio Caxiadão, acontecerão os seguintes confrontos. Confira.

Quartas-de-finais:
12ª Rodada - Segunda-feira (28/02)
20h - Jogo 1 - CACHAÇA EM CIA 2 x 1 PIRIGUETUS
21h - Jogo 2 - SALPIKANELA 2 x 5 BARBYRONS
13ª Rodada - Terça-feira (01/03)
20h - Jogo 3 - CIA DO ÁLCOOL x NUM FRESQUI NAUM
21h - Jogo 4 - EM CIMA DA HORA x PIMBAS DE AÇO

Semifinais:
14ª Rodada - Quinta-feira (03/03)
20h - Jogo 5 - CACHAÇA EM CIA x BARBYRONS
21h - Jogo 6 - (Venc do Jogo 3 x Venc do Jogo 4)

Finais:
15ª Rodada - Sexta-feira (04/03)
20h - Chelsea FC x Seleção de Touros (Futsal Feminino)
21h - Jogo 7 - (Venc do Jogo 5 x Venc do Jogo 6)

Mais informações no Blog do Esporte de Poço Branco.

EM CIMA DA HORA

Em resposta ao leitor Francisco Emiliano, de Natal, esclarecemos que não postamos a programação do Carnaval 2011, em Poço Branco, porque não recebemos nenhuma comunicação com este fim. É esperado para os próximos dias que ela seja divulgada, assim como ocorreu em anos anteriores. Não é prática deste espaço, até como forma de respeitar nossos leitores, divulgar informações oficiais baseadas apenas em boatos ou que estas não venham de fontes totalmente confiáveis. Em suma: se o Blog não receber nenhum comunicado acerca deste assunto, nada publicará.

DA JUSTIÇA

Do Blog Informativo do Judiciário de Poço Branco:

Foi autorizada pela Presidência do TJRN, na pessoa da Desembargadora Judite Nunes, a demolição da casa residencial do juiz da Comarca de Poço Branco, a fim de dar lugar ao novo Fórum, que será ali erguido dentro em breve. A responsabilidade pela demolição e preparação do terreno será da Prefeitura local, que se disponibilizou para tanto, tendo este magistrado repassado em mãos do Sr. Prefeito da cidade, Maurício Menezes, o ofício autorizativo. É mais um passo importante para a construção do nosso novo prédio do Fórum.

Este magistrado, em ofício conjunto assinado também pela Promotora de Justiça, Dra. Leila Regina, após conversa com o Prefeito e o Comandante do Destacamento da PM de Poço Branco, Sargento Batista, enviou requerimento ao Comandante da Companhia da PM em João Câmara pedindo reforço de, pelo menos, mais 10 (dez) policiais militares, por dia, para o Carnaval 2011, visando melhorar o policiamento ostensivo na Comarca.

INSEGURANÇA

Através de um fluente texto, intitulado “Pacata cidade do interior?”, o Guarda Municipal, Robson Vicente (foto), expõe uma realidade comum a diversas cidades brasileiras. O texto de Robson mostra, com detalhes, em que o município de Poço Branco se transformou quando o assunto é insegurança. As pacatas localidades de outrora, transformaram-se em territórios do medo, da insegurança e da ausência de soluções para esta peleja. Nem é preciso comentar quantas vezes a agência dos Correios, os terminais do Bradesco, mercearias e outros pequenos negócios foram assaltados por aqui. Nem é preciso contabilizar quantas vezes a violência desmedida transformou pequensas rixas em morte. A única certeza que existe é que alguma das partes envolvidas neste contexto não tem conseguido cumprir a sua obrigação. Clique aqui para ler o texto na íntegra.

25 de fev de 2011

FÉ E CARNAVAL

UM EVENTO DE FÉ

Bispo Francisco de Assis
Nesta terça-feira (22/02) a Igreja Universal do Reino de Deus de Poço Branco (IURD-PB) reuniu mais cerca de quinhentos fiéis, no largo de sua igreja, para a III Concentração de Fé e Milagre. Além da presença de fiéis e populares, estiveram no encontro o Bispo Francisco de Assis (vereador de Natal) e a Banda Canto de Vitória. Na ocasião, o Pastor Leonardo Alves (28), responsável pela igreja de Poço Branco há mais de um ano, mostrou-se satisfeito com os resultados do evento e afirmou que a mensagem de fé foi transmitida a todos da forma desejada.

Fiéis da IURD-PB lotaram espaço em frente a igreja
O Pastor só lamenta o grau de dificuldade que ainda existe para realizar um encontro religioso deste porte na cidade de Poço Branco. “Toda estrutura e suporte para realizar um evento desses possui custos muito altos para nossa realidade e a igreja não consegue fazer tudo sozinha. Precisamos de apoios e nem sempre conseguimos. Desde já agradecemos àqueles que se comprometeram e cumpriram com a palavra dada e também aos que, por algum motivo, não quiseram ou não puderam nos ajudar”, finaliza o Pastor.

As reuniões da IURD em Poço Branco são realizadas de segunda a sábado, às 19h. Aos domingos são realizadas duas reuniões: às 7h e 18h. A Igreja Universal do Reino de Deus está localizada na Avenida Manoel Rodrigues da Silva, vizinho ao Supermercado Gerdan.

EM RITMO DE CARNAVAL

Camiseta comemorativa do Carnaval 2011
O primeiro lançamento do Carnaval de Poço Branco 2011 já está disponível para os foliões. Trata-se de um lote limitado de camisetas personalizadas para o Carnaval 2011. As peças contêm fotos do principal cartão postal de Poço Branco - a barragem, e estão à venda na Loja Melina Variedades, na Rua 21 de Abril, no Centro Comercial.

24 de fev de 2011

COTIDIANO

ÚLTIMOS DIAS

Vote nas enquetes do Blog
As três enquetes do Blog estarão ativas até o dia 1º de março (até 0h00min). Nelas, os leitores do Blog opinam sobre o local para a realização do Carnaval 2011 e o desempenho da administração municipal e da câmara de vereadores, no primeiro biênio de seus mandatos. Aproveite e deixe também a sua opinião.

NOVO GERENTE

Estúdio da Rádio 89 FM - João Câmara / Foto: Evanuel Ataliba
O apresentador Carlos Silva recebeu em seu programa, na Rádio 89 FM, o jovem João Horácio de Góis, o novo diretor da III Unidade Regional de Saúde Pública (III Ursap). Na entrevista, João Horácio disse ter encontrado a regional com uma frota de veículos e um quadro técnico deficitários. Em meio a conversa, João Horácio revelou que pretende conhecer a realidade de cada um dos vinte e cinco municípios que gerenciará. Só depois é que ele pretende tomar as primeiras medidas.

A indicação de João Horácio para a regional foi o resultado de uma “senhora queda de braços” entre lideranças de Poço Branco e de outros municípios, em especial com os dois grupos políticos de João Câmara que apoiaram a governadora Rosalba Ciarlini. Esta nomeação foi engolida, mas ainda não foi digerida. Ainda não. Dela ficou uma considerada dose de ciúme nos que não a atingiram, pois há muitos anos todos os cargos deste escalão eram indicados por lideranças de outros municípios - exceto de Poço Branco.

Num primeiro momento, João Horácio não terá como fazer milagres. Só com o passar do tempo será natural que o jovem enfrente muitos desafios numa área tão complicada de gerenciar e de obter resultados (ainda mais quando se tem um estreante na função de gestor público). Formar uma boa equipe de apoio para enfrentar os primeiros desafios da saúde pública deverá ser a prioridade “nº 1” para este poçobranquense radicado.

Decididamente, não é o momento de rotular negativamente alguém que tem a sua primeira oportunidade. Com o passar do tempo, o jovem terá a chance de mostrar que capacidade e competência não são fatores estritamente biológicos - mais precisamente hereditários. “Não é porque seu pai errou, que ele o fará”, eis o grande desafio de João Horácio à frente da regional de saúde. É esperar pra ver.

23 de fev de 2011

POÇO BRANCO EM FOCO

JORNADA PEDAGÓGICA

A III Jornada Pedagógica dos Profissionais em Educação de Poço Branco foi aberta nesta terça-feira (22/02). O evento realizado na Escola Municipal Aluizio Alves e contou com as presenças de convidados e todo o corpo de docentes da rede municipal de ensino. Debaixo de uma ampla tenda, disposta em área arejada e com boa luminosidade, a Secretaria Municipal de Educação homenageou cidadãos, atuantes na educação local, pelos seus serviços prestados a comunidade escolar do município.

FOTOS DAS FALAS E HOMENAGENS

Abertura do evento
Homenageados: professora, Belchior de Oliveira (IFRN) e Sebastiana Rocha
Homenageados: João Cruz, Neci Baía e Rosinha Freitas (emocionada)
Homenageados: vereadora Socorro, Djalma de Souza e Maninha Miranda
Homenageados: ex-prefeitos Fernando Cândido, Zé Carneiro e Roberto Lucas
Homenageados: Geralda Miranda, Sebastiana Rocha e Eliane Leal
Belchior e Dorinha / Vereadores Edinho e Percivaldo Junior
João Cruz, Sebastiana Rocha e Eliane Leal / Gracinha Braz, Maurício e Dorinha Menezes
Tenda do evento / Professores durante o almoço

Fotos e informações da Secretaria Municipal de Educação de Poço Branco.

A CASINHA DAR CERTO?


Detalhe da Casinha
Em terras áridas, com dias de intenso calor e ainda mais sob o efeito do verão, não restam muitas alternativas aos privilegiados que residem ou podem se deslocar até balneários, lagoas, praias, cachoeiras, clubes, piscinas, etc. Em busca de amenizar o calor do corpo e relaxar a mente, parte dos poçobranquenses e muitos visitantes recorrem às águas da Barragem Eng. José Batista do Rego Pereira como fonte relaxante e de lazer. A procura se dar com mais intensidade aos domingos, mas a partir do sábado já se avista alguma migração em direção a barragem: a nossa alternativa ao calor.

Até o início dos anos 80, quando foi inaugurada a Adutora do Mato Grande, a população de Poço Branco consumia a água retirada da Casinha (foto). O local continha um motor bomba que levava a água até uma Estação da Caern e, depois, para a velha caixa d'água do comércio. Sendo depredada até perder sua arquitetura original, a Casinha passou a ser muito procurada para o banho por causa da rampa para saltar em sua piscina. Mesmo com uma boa procura, a região da Casinha ainda não recebeu melhorias que dessem condições seguras a seus frequentadores. A estrada que leva àquele local sempre foi muito inclinada, com muitas pedras e com uma chance de derrapagem (especialmente durante as chuvas) muito grande. Além de escorregadias, as pedras ao redor da Casinha são pontiagudas e, não raras vezes, acabam ferindo algum banhista mais desavisado.

Enquanto a margem direita da barragem só começa a receber visitantes quando o nível da água se aproxima da estrada, a Casinha acolhe banhistas durante o ano inteiro. Para melhorar as condições do banho no local já foram dadas algumas idéias, mas nenhuma delas saiu do papel. Já se pensou em asfaltar o acesso, pavimentar a área externa, construir bares, traillers, lanchonetes e até um balneário. Em todas tentativas o empecilho maior foi o fato do local ser uma obra pública, situada numa área de emergência da barragem: as comportas.

A explicação técnica dada no passado parece ser a mesma dos dias atuais: seriam necessários, pelo menos, dois projetos de engenharia - de custos muito elevados, diga-se de passagem. Um deles iria construir dutos para escoar a maior parte das águas das comportas por uma via subterrânea. A outra parte do volume d'água alimentaria a área de lazer. O outro projeto contemplaria os estudos de impacto ambiental e as demais obras necessárias. Mas a dúvida maior e que pode tornar o investimento inviável é: “O que fazer com o local em possíveis períodos de seca, em que pode ser necessário fechar as comportas para a barragem não secar totalmente?

21 de fev de 2011

NOTÍCIAS GERAIS

CARNAVAL DE CONTADOR

Victor Carvalho
O Bloco Contador na Folia chega a sua quinta participação no Carnaval de Poço Branco, iniciada em 2007 com quarenta componentes. No ano seguinte, saltou para mais de sessenta. Passou, em 2009, a ter quase noventa participantes e, no ano passado, levou mais de cem foliões a folia poçobranquense. O bloco vive um momento de reorganização, mas espera contar com cerca de duzentos sócios para 2011. Um dos diretores do bloco, Victor Carvalho, anunciou para o domingo de carnaval (06/03) a realização do tradicional churrasco do bloco, a partir das 13h, na Sede do Flamengo de Contador. O domingo de carnaval no Contador, consolidado definitivamente no calendário festivo do município de Poço Branco, poderá contar com a participação de outras três agremiações carnavalescas locais.

JORNADA PEDAGÓGICA

Jornada realizada em 2010
Será aberta nesta terça-feira (22/02), às 8h, mais uma Jornada Pedagógica dos Profissionais em Educação de Poço Branco. O evento de três dias será realizado no CCI (Centro de Convivência de Idosos) e faz parte do calendário escolar do município. A jornada terá o intuito maior de atualizar o corpo docente das escolas municipais do município e sua organização ficará a cargo da equipe multidisciplinar da Secretaria Municipal de Educação. A palestra de abertura do evento será ministrada pela professora aposentada Sebastiana Rocha Targino, cujo tema versará sobre: “Motivação: uma tarefa diária”.

A ARTE DE VOTAR

O voto obrigatório sempre deu margem para que sejam eleitos (e reeleitos) políticos desonestos, sem caráter e sem compromisso com o povo e a moralidade pública. São estes maus políticos que sujam e maculam a imagem dos demais. A cada eleição eles gastam fortunas para conseguir apoios, mas, depois de eleitos, a grande maioria se esconde da opinião pública e do povo. Não se ver tais políticos, frequentemente, em lugares públicos como ruas, clubes, shoppings, estádios de futebol, igrejas, etc. Não há como contá-los, mas eles estão em todos os municípios brasileiros.

Ao que parece, depois de eleitos é muito mais viável ficar “caladinhos” e acabam aparecendo pouco em seus mandatos. Esta é uma regra que vale para deputados, senadores e vereadores e que atinge, cada vez mais, os chefes dos executivos. Estes últimos, em sua maioria, carregam consigo o mal de não conseguir descer do palanque das eleições passadas. Poucas vezes aceitam uma sugestão ou opinião de algum cidadão que eles consideram “adversário político” – na verdade, muitos não aceitam nem mesmo de aliados.

Essa mudança de tratamento com o eleitor (depois de eleitos), aliado ao aparecimento de escândalos políticos, tem decepcionado, a cada nova eleição, uma quantidade cada vez maior de eleitores. Isso tem feito ressurgir (mesmo que timidamente), através da mídia virtual, um movimento para acabar com o voto obrigatório e torná-lo facultativo. O argumento é simples: irá às urnas apenas quem quiser; quem não desejar, pode ir à praia ou aproveitar o feriado de outras formas.

Em números gerais, a abstenção no Brasil gira em torno de 15%, nas eleições nacionais, e menos de 12%, nas municipais. Este número cresceria muito com o voto facultativo porque apenas as pessoas, de alguma forma interessadas no pleito, iriam às urnas. Iria às urnas aquele quociente de pessoas esclarecidas e que costumam votar lembrando (e muito bem) do que os candidatos não fizeram de “bom” e fizeram de “ruim” em seus mandatos. Iria também aquele eleitor que não se deixa manipular pelas cenas apelativas e emocionais do horário eleitoral gratuito, pela manipulação da grande mídia (a TV) ou pelos boatos criados para enganar a população eleitoral. Seria uma eleição em que apenas quem tivesse algum interesse pelo seu próprio futuro (e de seus semelhantes) iria votar. Nesse caso, e sem medo de errar, a abstenção a nível nacional iria beirar os 50% - principalmente nas grandes cidades.

Como a possibilidade de alterações na lei eleitoral continua remota, os movimentos pelo voto nulo permanecem vivos. Surgidos e extintos diversas vezes, estes movimentos sempre causaram polêmica porque, além de outros motivos, retiram o princípio da escolha entre as opções de votos disponíveis. O voto nulo, assim como o branco, é contabilizado como comparecimento e nunca garantiu ser um ato de indignação. Digitar erroneamente um número anulará o voto, mas esta situação pode ter sido causada apenas por uma distração, por desconhecimento do equipamento ou até de propósito. Mas se o voto não fosse obrigatório, seria possível medir o grau de interesse da população brasileira pelas eleições. E pelos candidatos.

Num país onde Eleições são muito mais um dia de festa do que uma decisão para o rumo de uma cidade ou estado, a legislação eleitoral deveria ser bem mais ferrenha e combativa. A Justiça Eleitoral, principalmente nas pequenas cidades, deveria dispor de uma maior estrutura de pessoal para coibir os tão visíveis crimes eleitorais à luz do dia (e da noite também). Certamente seria impossível evitar todos os desmandos praticados por candidatos que só se elegem porque distribuem mais dinheiro e benesses do que seus concorrentes. Seria uma chance de banir da política os candidatos que se orgulham publicamente de poder “comprar votos” e garantir sua eleição.

O voto obrigatório e suas penalidades vão continuar porque eles alimentam a indústria dos maus políticos, daqueles que arranjam dinheiro (e favorecimentos) através de formas ilegais e, após as eleições, permanecem presos aos que financiaram sua campanha. O voto facultativo criaria um novo tipo de eleitor que exigiria que os políticos mentissem menos e, quando eleitos, trabalhassem mais. Exigiria também que eles fossem menos corruptos, pois esse novo tipo de eleitor teria memória (ao contrário da maioria que faz questão de esquecer ou não dar importância aos escândalos e as más administrações). É verdade que o voto, em qualquer circunstância, dar margem para se eleger bons e maus representantes do povo. É o caso dos países em que o voto não é obrigatório (EUA) e lá, mesmo assim, também aparecem corrupção e escândalo político - em escala menor que aqui, é claro.

O certo é que poucos seres humanos mudam de atitude sem antes experimentar o dissabor da desconfiança, do descrédito, do ostracismo e, no caso dos políticos, da indignação pública. Somente um castigo desta magnitude poderia fazer os maus representantes do povo repensarem sobre o que fizeram e o que deixaram de fazer por todos nós. O voto é uma grande oportunidade para fazer comparações e escolher o melhor (ou o menos ruim), mesmo que esta decisão não seja tão fácil de tomar. Os bons políticos, homens públicos de verdade que, apesar de raros, ainda existem só nos fazem acreditar no voto como a arte de mudar o nosso país, nosso estado e nossa cidade. Por que não?

19 de fev de 2011

NOTÍCIAS GERAIS

COMBATE A DENGUE

Dia D contra a Dengue em Poço Branco
Na última quarta-feira (16/02), a Secretaria Municipal de Saúde de Poço Branco realizou um “Dia D” contra a Dengue. Agentes de Endemias, Agentes de Saúde, Enfermeiros, Técnicos de Enfermagem e alguns grupos de jovens de igrejas locais participaram deste crucial evento na luta contra o mosquito transmissor da dengue - uma doença que, mesmo sendo fatal, ainda não foi devidamente entendida por grande parte da população. Para um dos profissionais envolvidos no “Dia D”, Claudionor Cirilo, foram realizadas coletas de materiais em locais de possível reprodução do mosquito, dando maior atenção a visitas a residências, pontos comerciais e algumas ruas. A distribuição de cartilhas e panfletos sobre o tema também foi utilizada, assim como a conversa direta com os moradores à respeito da participação de cada um no combate ao mosquito Aedes Aegypti.

Claudionor enfatiza que: “Infelizmente ainda se encontra residências onde se ver lixo e material apto à procriação do mosquito. A conscientização deve ser geral porque mesmo se minha casa estiver limpa e não produzir o mosquito, se a do meu vizinho não estiver pode produzir mosquitos para infestar um quarteirão inteiro. O trabalho dos Agentes de Endemias e dos Agentes Comunitários de Saúde no nosso município tem sido intenso junto à população para que todos possam colaborar e não deixar que a Dengue chegue até nossa casa e nossa família. Municípios vizinhos a Poço Branco já registraram casos de Dengue e isso é um alerta para todos nós. Se não deixarmos o mosquito procriar, ele não terá como picar uma pessoa doente e vir a contaminar outra. Ainda não há casos em Poço Branco e devemos fazer o possível para que continue assim. Nosso trabalho na área de saúde pode ainda não ser 100%, mas trabalhamos para que o nosso povo possa ser atendido cada vez melhor”.

HOSPEDAGEM

Dilma e Adriano Lucas, proprietários da pousada
Em meio ao crescimento econômico que se espera para o município, nos próximos anos, alguns empresários locais estão realizando investimentos na expansão de seus negócios. Apesar de ainda ser um movimento isolado, a competição é o principal motivo para o surgimento ou a ampliação de novos empreendimentos. Um exemplo desta realidade é a Pousada Poço Branco, antiga Pousada do Bernardo. Desde o dia 16/02 que a direção daquele estabelecimento hoteleiro vem disponibilizando, regularmente, três refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar) ao público interessado. Há também a famosa 'Galinha Caipira da Dilma', assados na brasa e outras delícias da terra. A pousada oferece hospedagem com suítes climatizadas, equipadas com TV e DVD e está localizada na Rua Francisco Fabrício, 644, próxímo a Escola Estadual Carmem Costa. Informações e reservas pelos telefones (84) 9910-6813 e 9945-2010.

COMPORTAS ABERTAS
 
Imagem das comportas
Desde a quarta-feira passada (16/02) que uma das comportas da Barragem Eng. José Batista do Rego Pereira está com 100% de sua vazão. Completamente aberta, juntamente com a segunda comporta com mínima, em pouco mais de 20 dias o volume do reservatório se aproximará da casa de 65% (ou até menos). Segundo informações de populares, um dos engenheiros do DNOCS teria afirmado que esta medida visa evitar danos ao Vale de Ceará Mirim e Extremoz, como ocorreu em 2009 e em anos anteriores, caso o inverno previsto para 2011 seja concretizado.
 
A questão é recorrente e já foi motivo de protestos no passado, mas, atualmente, o bom senso manda que este processo se der de forma pacífica. A barragem é um patrimônio de Poço Branco, mas pertence ao Governo Federal - portanto, a todas cidades que ela banha. Por muitos anos, gerações de poçobranquenses se comportaram como se a barragem pertencesse, em todos os sentidos, apenas ao município por ter sido construída em seu território. Esta idéia ainda se mantem entre muitos, mas a barragem não pode mais ser vista apenas como nossa. Nenhuma autoridade local, exceto por motivação imperiosa, pode impedir que as comportas sejam abertas. O que pode haver é apenas uma ligeira interferência neste sentido, nada mais.

RESULTADOS DA 5ª RODADA

Campeonato de Blocos 2011

OS FEDERAIS 4 x 3 CACHAÇA EM COMPANHIA
LUBISOMENS 1 x 3 CIA DO ÁLCOOL
OS PIMBA DE AÇO 4 x 2 SALPIKANELA

FESTA

Foto publicidade de Velma Cruz
No próximo dia 10 de março, a cidade Taipu comemorará mais um aniversário de emancipação política. A festa principal está programada para a noita daquela data, a partir das 22h, em plena ressaca do Carnaval 2011.

16 de fev de 2011

ÚLTIMAS DO BLOG

A BARRAGEM VAI SANGRAR

Mediômetro da barragem
Se depender dos frequentadores da Barragem de Poço Branco, esta possibilidade é apenas uma questão de tempo. De acordo com a escala de medição do volume da barragem, conhecida entre os pescadores como mediômetro, o reservatório já recebeu mais de 2,8 metros de água nos úlimos dias. Com esse volume, o açude de Poço Branco se aproximou de 80% de sua capacidade total. O pescador José Caviloso (38) afirma que se as chuvas continuarem a barragem vai sangrar e o Carnaval de Poço Branco será melhor para todos porque receberá muitos visitantes, gerando renda para pescadores, ambulantes e para o comércio local.

ESPORTE LOCAL

1ª etapa da obra
A construção do Estádio Municipal de Futebol de Poço Branco está chegando a conclusão de sua 1ª etapa: a construção do muro, a entrada do estádio, bilheterias, secretaria, vestiários e sala de árbitros. Na 2ª etapa da obra serão erguidas as arquibancadas, preparado o gramado e o muro de proteção do campo. A última etapa será a iluminação do estádio. Não há uma previsão para o final das obras, mas entre os desportistas locais existe um clima de muita expectativa que, como tradição, sempre esteve aliado a uma dose de certo pessimismo. Será que desta vez não sai o estádio?

CANOA À VELA

Pescador usa velas ao invés de remos
A primeira canoa à vela de Poço Branco há dias circula pela Barragem Eng. José Batista do Rêgo. Seu proprietário é o Sr. Arlindo Oliveira (43) que alega ter mais de vinte anos como pescador naquelas águas. “Fiz esse tipo de canoa para me dar mais agilidade e ter menos esforço. Com ventos fortes, ela pode chegar a uns 40 km/h”. Arlindo acredita que será preciso buscar mais incentivos na área da pesca e do turismo para Poço Branco e reclama da falta de divulgação da barragem. Para ele, este é o fator mais determinante para a pouca presença de banhistas e visitantes ao mais impotante monumento do município.

Para o pescador, alguma providência tem que ser tomada para melhorar a situação dos pescadores e de todos que sobrevivem às custas da barragem. Ele diz ter ouvido falar na construção do Mirante, a ser construído próximo a barragem, e finaliza sua opinião dizendo: “Espero que esse negócio seja feito mesmo... A gente não acredita muito, mas se ele vier será muito bom para toda a cidade. É outra chance pra ganhar dinheiro com o peixe, camarão e com passeios de canoa ou de barco”.

AGRICULTOR OTIMISTA

A saga do pequeno agricultor é acreditar num bom inverno
O agricultor João Batista (46) está otimista quanto ao inverno de 2011. “Já estou fazendo a segunda limpa no meu roçado e, com a benção do meu Padim Pade Ciço, esse ano vai ser de muita fartura para todos nós. Aqui já plantei milho e feijão e espero colher o bastante para dar de comer a minha familia. Quando realizo esse feito, fico muito feliz”, conclui o otimista homem do campo de Poço Branco.

PROJETO DESPERTAR

O Projeto Despertar - Turma 2010, estará sendo concluíndo com a diplomação de 23 alunos empreendedores. A turma, que iniciou com 30 alunos, aprovou 23 alunos cada um com carga horária de 96 horas aulas. Durante o Curso, foram vistos vários temas importantes para suas vidas, com destaque para:

O CENÁRIO SÓCIO-ECONÔMICO MUNDIAL; A IMPORTÂNCIA DA ESCOLARIDADE NO MERCADO DO TRABALHO; O PERFIL DO EMPREENDEDOR; ELEMENTOS DA QUALIFICAÇÃO, ATRIBUTOS DA EMPREGABILIDADE, ATITUDES; AS MEGATENDÊNCIAS; A ATIVIDADE EMPREENDEDORA COMO OPÇÃO DE CARREIRA; FATORES QUE INTERFEREM NA ESCOLHA DA PROFISSÃO; O PLANO DE NEGÓCIO DE CADA UM E DE CADA EMPRESA CRIADA; PLANEJAMENTO E REALIZAÇÃO DA FEIRA DO JOVEM EMPREENDEDOR.

O Projeto Despertar teve, como facilitador e coordenador local, o professor José Cassimiro Felipe (foto acima). A nível regional, a coordenação é da professora Sônia Soares, da 16ª Dired. A nível estadual, o projeto é dirigido pelo professor Antonio Carlos Liberato, do SEBRAE RN, e pela professora Vera Reis, da SUEM/SEEC RN. A solenidade de entrega dos diplomas deverá acontecer em 14/03/2011 - Dia Nacional da Poesia e Dia da Aula Inaugural da Escola Estadual Estudante José Francisco Filho, faltando apenas a confirmação da nova diretoria daquele estabelecimento de ensino.

Fonte: José Cassimiro Felipe.

CAMPEONATO DE BLOCOS 2011

O Bloco Barbyrons mostrou porque é uma das equipes favoritas ao título de 2011. Neste sábado (12/02) a equipe, comandada pelo experiente ala João Paulo, em seu segundo compromisso, goleou o Bloco Num Fresqui Naum por 6 a 1. A atuação do goleiro improvisado, Diego Dantas, foi a atração da partida com grandes defesas. Outro favorito ao título é o Bloco Cachaça e Cia que montou um forte elenco para a disputa.

12 de fev de 2011

POÇO BRANCO EM FOCO

ARTISTA DA TERRA

Marli Bezerra ministrando cursos de pintura no CCI
Telas de Marli Bezerra
A poçobranquense Marli Bezerra (foto acima) desenvolve um importante trabalho artístico em sua cidade natal. Reconhecida por seu trabalho, Marli já esteve presente em algumas cidades do estado para mostrar suas produções artísticas. Maiores informações da artista em seu Orkut Oficial.

FINAL DE TARDE


A Academia da Terceira Idade tem chamado a atenção de quem passa pela Praça Coração de Jesus no início da manhã (por volta das 5h) e no final da tarde. Nestes períodos, cada vez mais adeptos procuram a academia para fazer exercícios físicos. A maioria são mulheres na faixa etária entre 30 e 55 anos que estão fazendo da atividade física uma constante em suas vidas. Antes, a maioria delas tinha apenas a opção de caminhar até a barragem e, ainda assim, outras se sentiam envergonhadas em ter como única opção a prática de um esporte predominantemente masculino.

Para a Sra. Adriana, uma das frequentadoras assíduas, “a academia foi uma grande oportunidade para o público feminino, pois muitas de nós andávamos meio paradas no tempo. Agora tenho um lugar certo para frequentar e ao mesmo tempo praticar exercícios físicos. Aqui tem um instrutor para acompanhar e orientar quem frequenta a academia. Acho que essa foi uma boa iniciativa da prefeitura”.

ESPAÇO DO ESPORTE

Maurício Dantas, Junior Caju, Comunicador Erivan e os deportistas de Taipu, Pedrinho e Dedé.
A Coordenadoria de Esportes de Poço Branco e o vereador Maurício Dantas fecharam uma parceria com a Rádio Comunitária FM Estrela do Mar (87,9 MHz), localizada na vizinha cidade de Taipu, para divulgar e acompanhar o IV Campeonato de Blocos Carnavalescos de Poço Branco. A rádio taipuense possui um programa esportivo que vai ao ar de segunda a sexta-feira, entre as 12h e 13h, que vai divulgar as atividades do campeonato de blocos de Poço Branco.

AGENDA DE SHOWS


Festa Beneficente
Data: 26/02/2011 - Hora: 22h
Local: Assentamento Jerusalém (Taipu/RN)

11 de fev de 2011

ÚLTIMAS DO BLOG

GUARDA MUNICIPAL LANÇA CARTILHA

A Guarda Municipal de Poço Branco (GMPB), através de seu blog (http://gmpocobranco.blogspot.com/), lançou um pequeno manual com dicas para ajudar na segurança pública do município. São elas:

1 - Ser um cidadão atendo a todo e qualquer movimento estranho na cidade;
2 - Ao perceber veículos estranhos, com placa de fora, principalmente caminhonetes e/ou veículos completamente "fechados" por películas, estranhe e avise a Polícia;
3 - Os veículos possivelmente passarão por mais de uma vez pelo local que eles julgam ser o "alvo" da ação delituosa. Portanto, observe e ligue imediatamente para a Polícia;
4 - Pessoas estranhas, em atitudes suspeitas, transitando na cidade também devem ser avisadas à Polícia, pois podem ser foragidos ou criminosos fazendo "levantamento" de um local para praticar delitos;
5 - Tendo alguma dúvida o cidadão poderá procurar um Guarda Municipal, em um dos seguintes endereços a baixo, ou a Policial Militar de Poço Branco, na Delegacia de Polícia:

Escola Municipal Aluizio Alves - Av. Santa Luzia/saída da cidade;
Centro de Múltiplo Uso - Av. Santa Luzia/Rua da Barragem;
Sede da Prefeitura – Av. Manoel Rodrigues/22 de abril;
Fórum da Comarca – Av. Nóbrega Machado/ Rua da Barragem;
Escola Municipal Raimundo Rosa – Rua Antonio Rodrigues/ Av. Santa Luzia;
Delegacia de Policia Militar - Av. Nóbrega Machado.

6 - Denúncias de ponto de tráfico de drogas poderão ser enviadas para:
E-mail da Guarda Municipal de Poço Branco: gmpocobrancorn@hotmail.com;
Disque-Denúncia - Polícia Civil: 0800 84 2999.

7 - Lembrem-se: Segurança Pública é direito e dever do cidadão. Participe. Faça a sua parte para melhorar a segurança pública de sua cidade.

COBERTURA DO CAMPEONATO DE BLOCOS


Acompanhe a cobertura do Campeonato de Blocos/2011 no Blog do Esporte de Poço Branco. Clique aqui para acessá-lo.

7 de fev de 2011

CARNAVAL 2011

“BLOCO DETTOMANIA VEM COM TUDO EM 2011”

O Bloco Dettomania está finalizando sua composição para o Carnaval 2011, em Poço Branco. A direção do bloco informa que os foliões que ainda desejarem participar da ‘2ª Detonada’ devem se apressar, pois restam apenas as últimas unidades. Maiores informações podem ser obtidas com os comissários do bloco:

Josy - Próximo a Pelado Byke Peças;
Sales - Em frente ao escritório da Emater;
Mário - Em Serra Pelada/Taipu;
Gutinho - Próximo ao Novo Hospital (no Conjunto Novos Tempos);
Duya - Pelos telefones (84) 9918-0492 e 9165-4733.

5 de fev de 2011

NÚMEROS DO BLOG

RUMO A MARCA DE 70 MIL ACESSOS.

Um oferecimento do mais novo parceiro do Blog:

Tel.: (84) 9647-5208 e 9955-2938 - Contador

ESPORTE LOCAL

IV CAMPEONATO DE BLOCOS CARNAVALESCOS DE FUTSAL

Estão definidas as chaves do IV CAMPEONATO DE BLOCOS CARNAVALESCOS DE FUTSAL/2011 em Poço Branco. A Chave A será formada pelos blocos Salpikanela, Lubisomens, Cachaça & Cia, Os Pimba de Aço, Cia do Álcool e Os Federais. Na Chave B estarão os blocos Barbyrons, Em Cima da Hora, Ferinhas, Piriguetus, Num Fresqui Naum e Contador na Folia. Nesse ano, apenas 12 equipes se inscreveram para participar da competição e as novidades foram as participações inéditas dos blocos Salpikanela (Lagoa do Serrote) e Lubisomens (Pretinha de Chico Henrique).

A competição terá o patrocínio oficial da Prefeitura Municipal de Poço Branco, o apoio do Secretário Marquinhos Menezes, a organização da Coordenação Municipal de Esportes (Junior Caju) e a colaboração dos desportistas Levy Pinheiro e Cristovam Marques. Nesta edição, a abertura da competição terá apenas uma partida entre o atual campeão, Em Cima da Hora, e o bloco bi-campeão, Barbyrons. Na preliminar desta partida de abertura acontecerá a final do I Desafio de Futsal (Sub-13/Sub-15) entre Taipu x Poço Branco.

Pelo que vimos na reunião de abertura do campeonato há muitos comentários sobre contratações e acertos para formar as equipes para a disputa. O que se ouve nos quatro cantos da cidade é o comentário desta competição que, a cada ano, vem crescendo e já se tornou a prévia oficial de abertura do Carnaval de Poço Branco. O campeonato já virou tradição e não tem mais como não o realizar todos os anos. Estou muito feliz em poder proporcionar isso ao nosso povo, em especial aos desportistas de Poço Branco”, comentou o idealizador do evento - o vereador Mauricio Dantas.

1ª Rodada - Quarta-Feira (09/02) - CHAVE B
20h - EM CIMA DA HORA x BARBYRONS

2ª Rodada - Quinta-Feira (10/02) - CHAVE B
20h - FERINHAS x PIRIGUETUS
21h - NUM FRESQUI NAUM x CONTADOR NA FOLIA

3ª Rodada - Sexta-Feira (11/02) - CHAVE A
19h - CIA DO ÁLCOOL x OS FEDERAIS
20h - CACHAÇA & CIA x PIMBAS DE AÇO
21h - SALPIKANELA x LUBISOMENS

Toda a cobertura deste evento será mostrada no Blog do Esporte de Poço Branco. Clique aqui para acessá-lo.

2 de fev de 2011

CONVERSA ENTRE CONTERRÂNEOS

JOSÉ RODRIGUES DA SILVA

Caxiado mostra a direção de Poço Branco Velho
Infância e adolescência

A história deste poçobranquense se confunde com a própria história do povoado e, depois, do município de Poço Branco. Nascido “no beiço do rio”, como ele mesmo se define, José Rodrigues da Silva (Zé Caxiado) é uma verdadeira enciclopédia quando o assunto é Poço Branco. Sua infância foi marcada por brincadeiras nas cachoeiras, futebol e também muito trabalho ao lado de seu pai, o Sr. Manoel Rodrigues da Silva. Caxiado afirma que, desde os primeiros anos de sua vida, acostumou-se ao trabalho diário de ajudar seu pai na mercearia - mas pouco trabalhou na agricultura. Em sua opinião, a seca e a fome foram os maiores massacres ao povo nordestino, mais até do que as pestes e epidemias que também foram comuns no passado.

Os modos de vida

Zé Caxiado agradece aos céus e afirma ter sido um privilegiado. Apesar de ter estudado pouco sempre teve uma mesa farta e acesso a regalias que a maioria das famílias da época nunca tiveram - tudo graças ao trabalho e esforço de seu pai, um homem que sempre colocou a família no centro de tudo. Teve uma criação considerada branda para os padrões antigos, mas de muito respeito ao próximo e, sobretudo, aos “mais velhos”. Ele acredita que estes conceitos lhe ajudaram bastante no curso de sua vida, afirmando que sua conduta pessoal lhe rendeu ter sido escolhido, entre outros conterrâneos, para trabalhar na Construtora Nóbrega & Machado como Técnico de Laboratório em Ensaios de Solo e, depois, como Apontador Geral (época em que comandou mais de 80 máquinas e cerca de 1.500 homens nas obras da Barragem Eng. José Batista do Rego Pereira). Foram quase dez anos de serviço.

A família

Zé Caxiado diz ter construído uma família de quatro filhos e uma quantidade de netos que, atualmente, não sabe precisar. Entre muitas alegrias, Caxiado diz que também teve decepções e que estas são, tal qual as vitórias, muito importantes para fazer o ser humano tomar o seu rumo. A família é, na visão do nosso entrevistado, o pilar maior de sustentação de um homem ou mulher: “Se ela desanda, também desandamos”, afirmou.

As realizações concretas

A maior de todas as realizações deste poçobranquense foi a sua contribuição na construção da Barragem de Poço Branco. Nos dez anos de serviço prestado, Caxiado diz ter feito muitos amigos e que, até os dias atuais, recebe o reconhecimento e abraços de alguns e de seus familiares. Caxiado diz ter participado da criação do Clube Sanelândia e do Grupo Teatral Águia, embora demonstre certo rancor por não ter recebido um reconhecimento público por estes feitos. Outro orgulho deste poçobranquense são os seus 40 anos de funcionalismo público municipal, exercendo o cargo de Fiscal Municipal de Tributos. Mas o que o deixa arrepiado foi o papel que desempenhou, como intermediador junto ao Exército Brasileiro, para a obtenção de recursos para reforma e construção de quase 80 casas - destruídas pelos abalos sísmicos ocorridos na região do Mato Grande, nos anos 80.

As saudades

Aos 70 anos de idade, Zé Caxiado diz ter saudades de sua infância, de seus pais, de sua esposa e dos amigos que “já se foram”. Acha que a saúde é o bem mais precioso de um ser humano, mas lamenta o fato da maioria das pessoas “brincarem” com algo tão sério e importante. Por isso, este poçobranquense há muito anos pratica a caminhada, atividade que vem caindo no gosto de outros cidadãos locais. Em sua fala, enfatiza que não procura alimentar a solidão e nem viver de saudades, de olho no passado, mas sim pensando em boas novas e mais realizações - para si e para os que vivem ao seu redor.

As perspectivas para Poço Branco

Zé Caxiado tem, na ponta da língua, o discurso pessimista de quase todo homem em sua idade. Acredita que, diante de tudo que se ver no dia-a-dia, na TV e no rádio é muito difícil ser um otimista. Os novos estilos de vida (internet, festas modernas, drogas, etc.) não encantam este cidadão poçobranquense que não ver, no futuro, a volta de coisas que define como boas. Ele argumenta que as escolas não funcionam bem porque professores e alunos (a maioria) perderam o interesse pelo que fazem. “As escolas se parecem com outras coisas, menos com lugares para aprender coisas do bem”. Sobre a segurança pública, Caxiado acredita que as drogas foi o que de pior aconteceu em sua cidade. “Antigamente, eram poucos os viciados e eles não mudavam muita coisa; hoje, tem em toda esquina e não sabemos mais quem usa droga e quem não usa”, afirma.

Na opinião de Zé Caxiado, Poço Branco precisa de muitas mudanças até conseguir se desenvolver e chegar a um lugar de destaque na região: “É muita coisa pra se fazer ao mesmo tempo e a prefeitura sozinha não tem como. O que mais se ver nas ruas da cidade são jovens sem emprego e outros que não querem nada”. Caxiado acredita que o turismo pode ser o futuro de Poço Branco porque pode trazer empregos para quem precisa e gerar riquezas para o município. Ele finaliza dizendo que sua cidade precisa também de mais opções de estudo e esporte para crianças e jovens e, principalmente, que algumas pessoas comecem a mudar o jeito de olhar para o lugar onde moram.

PAULO LAILSON COSME

Paulo Lailson: ainda é possível
Infância e adolescência

Paulo Lailson (Lailson de Zé Cosme) lembra de sua infância como um momento mágico, tempo de brincadeiras e de ausência de responsabilidades. Lailson lembra que nunca jogou futebol - o esporte predileto de 9 entre 10 meninos, mas que sempre gostou de música e animação. Sua adolescência foi iniciada com a experiência de oito anos como escoteiro, ao mesmo tempo em que realizava trabalhos voluntários junto a Igreja Católica e ajudava seu pai a tocar um bar (nos fins de semana).

Os modos de vida

Para este poçobranquense, a sua época trouxe à tona uma grande dificuldade na área da saúde pública: “Foi um tempo em que não existiam médicos, enfermeiros, medicamentos e até atendimento suficientes para quem mais precisava; tudo era muito difícil e distante; a sorte é que existiam pessoas como o saudoso Manoel Caju que, mesmo sem formação acadêmica, deu muita assistência as pessoas mais necessitadas”. Estudar e trabalhar sempre foram atividades que acompanharam este cidadão poçobranquense.

A família

Lailson diz ter tido uma criação rígida, dando valor as coisas conquistadas e uma família criada sem luxo e regalias (que se tem hoje). A família é, na visão de Lailson, o início de tudo e a referência para o futuro das pessoas, mas nem todos enxergam desta forma. Ele lamenta que estes valores não tenham mais aceitação no seio da maioria das famílias.

As realizações concretas

Em sua opinião, a maior de todas as suas realizações foi conquistar uma profissão que lhe desse o sustento de sua família. Lailson descreve esta trajetória como uma verdadeira “via crucis”, de muitas dificuldades e também de noites sem dormir. Ele adverte que, atualmente, praticamente nenhum jovem poçobranquense precisa passar pelo que ele viveu. Para ele, esta nova realidade deve ser aproveitada por todos e sempre com o apoio das famílias - o que é mais importante.

As saudades

Se dizendo ainda jovem, Lailson afirma que não tem muito do que sentir saudade por entender estar vivendo os melhores dias de sua vida agora. “A saudade daqueles que perdemos (como nossos pais, irmãos e amigos) é normal. Disso eu sinto saudade. Do resto, não lembro com frequência”, conclui Lailson.

As perspectivas para Poço Branco

O discurso de Lailson quanto ao futuro de sua cidade é de otimismo - “apesar dos pesares”, diz. Ele argumenta que pensa assim porque tem família (filho e esposa) e não pode querer para eles o pior. Para Lailson, tudo de mal que se ver em Poço Branco, atualmente, é um reflexo do que acontece no mundo. Não é responsabilidade de prefeito, vereador, juiz, polícia, professor, padre ou pastor... Os novos estilos de vida (internet, festas modernas, drogas, etc.) assustam este cidadão poçobranquense, mas ele acredita que a solução está dentro da casa de cada um de nós. “Caso as pessoas se conscientizassem de alguns comportamentos e atitudes básicas, muitas coisas podem mudar. Mas a mesquinharia, a inveja e outros pensamentos maléficos ainda atrasam qualquer coisa - inclusive uma cidade”, define.

Lailson acha que todas as escolas de Poço Branco já melhoraram muito nos últimos anos. No entanto, nosso entrevistado se considera leigo quando o assunto em discussão é Educação. Já sobre a segurança pública, Lailson acredita que as drogas foram a maior responsável por tanta violência em sua cidade. Por trabalhar na área da saúde, ele acredita que Poço Branco já sente as consequências da existência de viciados, mas ainda não percebeu o custo com o tratamento destes que, segundo ele, é muito alto e não tem eficácia garantida. Para Lailson, “quem desrespeita as leis deveria ficar preso; mas como não existem cadeias suficientes, a maioria dos criminosos voltará às ruas para assaltar, matar, sequestrar, aterrorizar, etc. É uma bola de neve...”.

Assim como na segurança, será preciso uma mudança de atitude “de cima pra baixo” para se melhorar o atendimento na área de saúde pública - em qualquer cidade brasileira. “Não existe fiscalização de quase nada nesta área; tudo é muito caro e os recursos sempre parecem cada vez mais insuficientes”, destaca o enfermeiro Lailson. Ele exemplifica dizendo que, numa cidade com 10 mil habitantes, por exemplo, não há como um hospital se preparar, em todos os sentidos, para atender a todas as 10 mil pessoas num só mês. Sempre se faz uma estimativa que, muitas vezes, é feita “por baixo“, para diminuir custos. Assim, é lógico que as coisas (atendimento, remédios, combustível, etc.) devam faltar em algum momento.

A tarefa de desenvolver uma cidade como Poço Branco é, para Lailson, uma tarefa muito complicada. Ela envolve muitas mudanças e precisará de muitos anos para ser concretizada. Lailson acha que o turismo na barragem pode ser uma boa opção para dar início ao crescimento da cidade, mas acrescenta que já faz muito tempo que se fala nessa possibilidade e nunca foi feito nada. Ele acha que Poço Branco somente sentirá mudanças positivas se todo prefeito der continuidade ao projeto de crescimento iniciando anteriormente. Infelizmente, segundo argumenta nosso entrevistado, esta possibilidade é remota e o município continuará a crescer na mesma medida em que crescem seus vizinhos, ou seja, “a passo de tartaruga”.

MIGUEL JANUÁRIO

Miguel Januário: um legítimo poçobranquense
Infância e adolescência

Aos 88 anos de idade, Miguel Januário e sua esposa, Da. Maria das Neves (83), descrevem suas infâncias como momentos de extremo sofrimento, fome, muito trabalho pesado e pouquíssimas oportunidades de lazer e entretenimento. A história deste poçobranquense começa quando sua família, composta por nove membros, mudou-se de Pedro Avelino em busca de um lugar em que fosse possível, pelo menos, ter água para beber. Foram vinte dias de viagem do alto sertão potiguar até o povoado da Marelona, distrito de Taipu. Desde os sete anos de idade Miguel Januário iniciou sua vida de trabalhador rural, tendo a seca e a fome como maiores opositores.

Os modos de vida

Miguel Januário afirma que, no início dos anos 30, os povoados daquela região tinham apenas quatro principais famílias: Tabocas, Gonçalos, Caxiados e Miguéis. Destas, era tirada toda a vida social e econômica da região - formada, basicamente, pela agricultura de subsistência. Além do trabalho nos roçados, Miguel afirma que o povo de Poço Branco Velho era muito religioso e respeitava as datas e os ensinamentos da Bíblia Sagrada - mesmo que poucos soubessem ler e/ou escrever. Apenas aos 38 anos de idade Miguel Januário começou a exercer um trabalho que o tornaria mais conhecido no município: vendeu picado e cachaça por mais de 45 anos em Poço Branco (desde o povoado até a cidade emancipada).

A família

Miguel Januário constituiu uma família de três filhos, criados sob os preceitos da fé do respeito. Ele lembra que, hoje, não existe mais respeito entre pais e filhos e diz: “Filho não toma mais a benção a pai, a mãe, a um tio(a), a um padrinho(a). Não existe mais respeito nas famílias e muitos estão longe de Deus. Mas a minha família eu ainda consegui criar com respeito”. Miguel só lamenta o fato de todos seus filhos terem seguido caminhos que se distanciaram dele. “Hoje vivo sozinho, doente e esquecido pelos amigos e parentes. Só tenho a minha véia pra me ajudar. Criei uma neta e esperava que ela morasse, pelo menos, perto de nós. Mas ela também seguiu para um caminho distante. A gente só é alguma coisa quando é novo e tem saúde”, resume Miguel sobre a sua família.

As realizações concretas

Miguel Januário diz ter vivido sempre do seu trabalho, de forma honesta, tendo o que comer e uma casa própria pra morar. Para ele, não é preciso muito mais do que isso para ser feliz. Ele afirma que não tem nenhuma grande realização, a não ser ainda estar vivo e receber uma aposentadoria todo mês. “O trabalho no roçado era muito pesado e não me deu riqueza. Mesmo assim, não aceitei um convite de um ex-prefeito, para trabalhar na Escola José Francisco, porque achava que a agricultura era mais vantajosa. Se tivesse ido, hoje eu receberia uma aposentadoria melhor“, destaca Miguel.

As saudades

Miguel Januário diz ter saudades de seus pais, de seus filhos distantes e dos amigos que “já se foram”. Ele também sente saudades dos tempos em que podia beber, dançar e ir ao Juazeiro do Norte - visitar o Pe. Cícero. Hoje, a saudade não adianta muito para este poçobranquense que se diz triste pelas muitas promessas que recebeu de políticos locais que nunca foram cumpridas e afirmou que: “Recebi, quando eu mais precisava, o auxílio de um político daqui que eu nunca pensei que fosse me ajudar. Não posso ficar contra uma pessoa dessa porque, abaixo de Deus, foi quem me socorreu. Devo muito a ele”.

As perspectivas para Poço Branco

Miguel Januário, um cidadão de 88 anos de idade, não acredita mais em melhores dias para Poço Branco. Diz que não tem quem der jeito porque são as pessoas é que não querem mudar. Miguel elege a bebida e as drogas como os agentes causadores de mais sofrimentos nas famílias de Poço Branco. Os novos estilos de vida (internet, festas modernas, drogas, etc.) nem são conhecidos totalmente por este cidadão poçobranquense que não ver, no futuro, a volta de coisas que define como boas.

Ele argumenta que as escolas não funcionam bem porque alunos não respeitam mais os professores. Sobre a segurança pública, Miguel Januário acredita que o medo é uma constante na vida dos poçobranquenses. Ele relembra o dia em que teve a porta de sua casa arrombada por um menor, em busca de dinheiro para drogas, e que este nunca recebeu nenhuma punição pelo que fez. Na opinião de Miguel, Poço Branco precisa de um milagre para conseguir se desenvolver. Ele acha que a única coisa que a Barragem de Poço Branco pode fazer pela cidade é dar peixe e camarão aos pescadores, como sempre fez. “Aqui, turismo não dar certo”, finaliza Miguel Januário.