27 de abr de 2013

A CHUVA...

...QUE RENOVA A VIDA E A ESPERANÇA


Final de tarde da sexta-feira (26) apresentou céu nublado
Em toda a cidade e nos distritos a felicidade dos munícipes é visível por causa das chuvas que caíram nos últimos dias na região. Há relatos de que, durante as primeiras chuvas, várias crianças, jovens e até idosos saíram de casa para tomar banho nas ruas e estradas num claro manifesto de agradecimento e felicidade pelo acontecido.


Avenida Manoel Rodrigues da Silva
E essa alegria tem sido mais presente na zona rural do município, onde moram pouco mais de 47% de sua população. A explicação é simples: a maioria da população rural depende diretamente da agricultura, pesca e pecuária para sobreviver – ao contrário da maioria da população urbana que conta com água distribuída pela Caern e possui outros meios de sobrevivência predominantes.

Um gavião pousou na terra arada e preparada para o plantio de milho e feijão
Enfim, o verde voltou a paisagem de Poço Branco e a felicidade está de volta aos rostos de muitos poço-branquenses. Mas, infelizmente, a seca não é o único problema: por todo município ainda existem muitos vazios sociais, insegurança, falta de oportunidade e iniciativas que não sairam do papel. Dar pra notar que muito já foi feito nos últimos anos, nada capaz de a tudo sanar num passe de mágica. Talvez o grande empercilho ao desenvolvimento de uma pequena cidade seja o moderno estilo de vida que exige muito e pouco oferece; talvez sejam outros... Pelo menos, a chuva parece renovar a vida e encher o coração do povo de muita esperança.

25 de abr de 2013

COTIDIANO

QUATRO ANOS DO BAHIA


O Bahia FC de Poço Branco está prestes a completar quatro anos de existência. A equipe atua na categoria master e tem como principal título o campeonato regional do Mato Grande, conquistado em 09/10/2011. Para comemorar a data, o clube está preparando um campeonato de futebol master. A competição levará o nome de seu ex-atleta, Francisco Santana da Silva (Tico Santana), falecido em 21 de março de 2012. Tico Santana foi um dos fundadores do Bahia, além de atleta e patrocinador. A homenagem foi consensual entre os diretores do clube que tem à frente, dentre outros, Eliel Silva, Mauricio Salustino, Carlinho Dorréia e Erivan Camilo.

A competição estar sendo realizada aos sábados (a tarde) e aos domingos (pela manhã), no campo do Conjunto Novos Tempos e está dividida em duas chaves: na Chave A estão o Vitória do Xavier, Sanelândia e Bahia; na chave B estão a Seleção da Pousa, o Barcelona e o Nova Esperança da Acauã. As equipes se enfrentam em cruzamento de chaves. Depois de cinco rodadas, as duas melhores equipes de cada chave se enfrentarão na semifinal da competição (1º A x  2º B e 1º B x 2º A). 

IV TAÇA POÇO BRANCO

A participação em competições regionais motivou atletas locais
Aconteceu na sexta-feira (19), no Ginásio Poliesportivo Raimundo Rodrigues da Silva (Caxiadão), a primeira reunião com dirigentes de clubes de futsal local. A reunião foi o primeiro passo para a disputa da IV Taça Poço Branco de Futsal. Nela foram debatidos temas como a forma de disputa, premiação, arbitragem e período da competição.

Dez equipes confirmaram participação na competição: São Paulo, Vitória do Xavier, Game Gol, Gesso FC, Vale Verde, Asas Q’Delícia, Náutico do Serrote, Bad Boys, São Caetano e Fluminense. A novidade desse ano é que as equipes poderão inscrever atletas não domiciliados em Poço Branco.

Segundo o coordenador de Esportes e Lazer de Poço Branco, Junior Caju, uma competição que possa contar com atletas de renome é muito importante para a divulgação e desenvolvimento do futsal local. “Nós precisávamos de uma competição desse porte em nossa cidade, pois a presença de atletas de outras cidades vai valorizar bastante o esporte local, além de ser uma vitrine para os atletas da terra. Receberemos jogadores de nível nacional no futsal, pois sabemos que alguns clubes sairam na frente e já estão mantendo contatos para se reforçar nessa competição que será inédita para o desporto poço-branquense”, finalizou o coordenador.

A CHUVA CHEGOU

Chuva na estrada entre os distritos de Contador e Serrote
Contrariando previsões iniciais dos meteorologistas, a chuva finalmente chegou em boa parte do Estado e devolveu a esperança ao homem do campo. As águas molharam o chão potiguar, principalmente, nas regiões Oeste e Seridó: no último final de semana, choveu em 92 dos 167 municípios do Estado. O maior registro de chuvas foi em Campo Grande (322 mm), seguido de Itaú (212 mm) e Mossoró (203 mm). Para se ter uma ideia da falta chuvas no RN, o que choveu recentemente na cidade de Itaú foi mais do que choveu em 2012.


Em Poço Branco, a chuva também está alegrando a população. A principal expectativa dos agricultores locais é de iniciar o plantio o mais rápido possível para poder “comer milho e feijão verde no São João”. Outra expectativa da população é pela sangria da barragem, ocorrida pela última vez em 2009 (foto acima). Se continuar chovendo por mais duas semanas, mesmo que não chova diariamente, é possível que o solo favoreça a germinação das sementes. Já a sangria da barragem não é tão fácil, pois requer um inverno intenso. Agora, é rezar para que a natureza faça a parte dela em favor do semiárido nordestino.

19 de abr de 2013

ÚLTIMAS DO BLOG

A SECA E O CIDADÃO

Chuva que caiu nesta sexta-feira (19) animou a população de Poço Branco (foto: Simone Lima)
Quem conhece a seca e os estragos que ela tem provocado em toda cadeia produtiva e na vida do pequeno, médio e grande fazendeiro, sabe que a política de amenizar o quadro jamais vai resolver a questão: trata-se apenas de um paliativo, que não cura totalmente a doença e sempre deixa sequelas. Esse é um assunto muito discutido ao longo dos anos, muito teorizado e, por causa da falta de resultados práticos, criou-se o conceito de que a seca é apenas moeda de troca eleitoreira.

A seca jamais deixará de existir por se tratar de um fenômeno natural na região semiárida nordestina. Ela pode mudar de intensidade e duração, mas sempre fará parte desse cenário. Não há como fugir dela, mas o papel do homem do campo é muito importante e não pode deixar de ser cumprido.

Sabe-se que muitos produtores rurais da região estão com rebanhos dizimados, lavouras reduzidas a zero e baixíssima produção de leite. A seca tem, ano após ano, aumentando o fosso social que separa a região nordeste do resto do Brasil e as ações dos governos não surtem o efeito desejado: seja por omissão ou por opção.

É consenso a urgência e a necessidade de algumas medidas constantes - não apenas por iniciativa da parte governamental, mas, sobretudo, das populações afetadas. E estas últimas não devem mais colocar a culpa apenas no estado, ficando a esperar pela seca ao mesmo tempo em que aguardam a intervenção “financeira” de prefeituras, governos estaduais e da União.

É como a questão do lixo doméstico: não se pode esperar apenas que a coleta seja feita. É preciso produzir menos lixo e poluir menos o meio ambiente. Os hábitos devem partir também de cada cidadão. É o mesmo exemplo que se ver nas enchentes da região sudeste do país: todo ano tem e ainda não houve solução porque, em alguns casos, as pessoas continuam a se arriscar e a não cumprir pequenas medidas de segurança.

É necessário surgir o hábito e a consciência de que a prevenção, a estocagem e a economia, dentre outros, são vitais para enfrentar o problema. Em geral, é muito mais fácil atacar os governos pela falta de atitudes rápidas e fortes, mas poucas pessoas e a imprensa (de uma forma geral) admitem que alguns produtores rurais desvirtuaram a utilização de recursos recebidos para outras finalidades e nem mesmo pagaram suas dívidas - de juros absurdos, diga-se de passagem.

O SINDICATO NAS COMUNIDADES

João Barreto orientou agricultores na Pouza
O projeto Sindicato Itinerante, do STTR de Poço Branco, realizou mais um dia de atividades nas comunidades rurais. Na semana passada, a comunidade visitada foi o Quilombola de Acauã e, dessa vez, o STTR esteve na Pouza para atender produtores rurais e agricultores daquela localidade e adjacências. Na ocasião, foram tiradas varias dúvidas sobre benefícios do INSS, sindicalização de novos sócios e até o recebimento de mensalidades de alguns sócios que desejaram fazer o pagamento.

Para a presidente da instituição, Gildênia Freitas, “este é apenas o início de uma longa jornada de trabalho que o STTR ainda irá cumprir. O objetivo do sindicato é ir até aqueles que têm dificuldades de se locomover até a cidade e, desta forma, minimizar as dificuldades dos agricultores. Conforme prometido, o sindicato vem consolidando sua ação itinerante no município de Poço Branco”.

Por Nathally Almeida.

DIA DA MULHER

HOMENAGEM I

Na noite da última terça feira (16), a Câmara de Vereadores de Poço Branco realizou uma sessão solene para homenagear o Dia Internacional da Mulher. Mesmo acontecendo 39 dias após a data oficial (8 de março), e contando com uma tímida participação da comunidade, a solenidade foi marcada por emoção e biografias que se confundem com a própria história da cidade de Poço Branco.

Entre anônimas e pessoas públicas, cada vereador optou por indicar uma poço-branquense para homenagear - uma tarefa difícil quando o município possui quadros femininos que sempre se destacaram pela atuação e presença nos mais importantes momentos da comunidade. Com certeza, cada uma delas, a seu tempo e modo, deu alguma contribuição para o desenvolvimento do município.

Em seu blog, o ex-vereador Neo Alves destacou outras quatro que também poderiam ter sido homenageadas naquela noite. Foi uma homenagem também válida, mas com tantas opções disponíveis seria impossível produzir uma matéria digital sem esquecer de algumas delas.

Em 2009, quando ainda era o único blog do município, este espaço homenageou 156 mulheres: algumas em vida; outras, já falecidas (imagem abaixo). Foi uma maneira de reconhecer as virtudes de algumas e rememorar as de outras... Mesmo assim, e certamente, também restaram muitas conterrâneas a homenagear.


HOMENAGEM II

Vereador Inácio Alexandre (esq) homenageou Dona Marié
Dentre as mulheres homenageadas na solenidade, destaque para a paraibana Maria Nunes Felipe, mais conhecida como Dona Marié, mãe do professor José Cassimiro e de outros dez irmãos.

A seguir, reproduzimos um pouco da história de Dona Marié. Confira.

Maria Nunes do Nascimento, conhecida carinhosamente como Dona Marié, nasceu aos 05 dias do mês de abril de 1935, no Sítio Junqueiro, no município de Serraria, na Paraíba. Teve uma infância normal, dentro dos parâmetros da época. Em 1952, aos 17 anos de idade, desloca-se para Recife, para casa de uma tia, objetivando trabalho e, mesmo de menor, consegue sua primeira e única experiência de trabalho com carteira assinada na Fábrica de Tecidos Macaxeira, no Bairro de Casa Amarela, por 1 ano e 6 meses.

Em 1954, então com 19 anos, retorna à Serraria/PB quando conhece João Cassimiro Felipe, jovem recém-chegado de Caicó/RN, que estava na cidade a trabalho e que se constituiria no grande amor da sua vida. Após dois anos de namoro, aos 21 anos, casa-se com João Cassimiro Felipe, em 26 de maio de 1956, assumindo o nome de Maria Nunes Felipe e vem morar em Solânea-PB, dedicando-se exclusivamente aos afazeres domésticos.

Em 14 de março de 1957, tem o 1º filho de uma série de 11, todos nascidos vivos. O jovem João trabalhava na construção de um túnel ferroviário na vizinha cidade de Bananeiras/PB e Dona Marié era responsável pela casa e pela educação dos filhos. Em 1962, Seu João, com o término das obras do túnel ferroviário, é convidado pelo amigo Vauban Bezerra de Faria, engenheiro daquela obra, a vir para o Rio Grande do Norte, trabalhar em uma grande obra, a então Barragem de Taipu.

Seu João aceita o convite e deslocou-se para o local da obra, ficando Dona Marié sozinha, com seus, até então, cinco filhos. Ela assumiu a casa na sua totalidade, já que a distância, os meios de transportes e o trabalho intenso eram fatores que dificultavam a ida e vinda de seu João para Solânea/PB. A visita a sua família acontecia a cada 30 dias.

Dona Marié sofria com essa ausência, mas resistia em sair de Solânea/PB, pois ali estava próximo dos seus familiares. A obra da Barragem se estendia e seu João viu a necessidade de trazer a sua família para o local da obra, pois a Construtora Nóbrega & Machado Ltda começara a construir residências para os funcionários casados e de outras localidades. A família de Seu João foi uma das primeiras a migrar para Poço Branco, tendo chegado aqui em 09 de Janeiro de 1963, habitando uma das primeiras casas construídas, a mesma que Dona Marié habita até hoje, 50 anos depois.

Dona Marié vive momentos delicados, devido às saudades dos seus entes queridos distantes, mas supera com dedicação à família que requer cuidados especiais como saúde e educação, itens precários na localidade. Sua abnegação pelo próximo é grande e se dedica incansavelmente à Igreja Católica, sendo hoje participante do Apostolado de Oração e a uma tarefa grandiosa: curar o próximo, arte que aprendera com sua mãe e até hoje pratica, sobretudo com as crianças.

Ela ainda acorda antes das 5 horas da matina e só dorme após as 21 horas, dedicando-se ao lar, aos filhos e filhas e à Igreja. Adora servir o tradicional cafezinho vespertino, todas às tardes, na sombra da mangueira para quem chega ao banquinho em frente a sua residência. A seu próximo, como benzedeira, ajuda e jamais abriu mão de fazer. E essa ação já lhe oportunizou ser entrevistada pela equipe organizadora do Selo UNICEF. Dona Marié é uma mulher forte, dinâmica, caseira e uma cidadã que também contribuiu para o desenvolvimento de Poço Branco.

Texto extraído do Facebook de José Cassimiro Felipe.

16 de abr de 2013

ESPORTE LOCAL

CONVITE


A Coordenação de Esporte e Lazer de Poço Branco convida os representantes de clubes de futebol do município para participar de uma reunião que tratará do torneio de inauguração do Estádio Municipal Cícero Luiz da Silva, a ser realizada no dia 12 de maio próximo, e de outros assuntos.

A reunião arbitral do torneio acontecerá no dia 28 de abril, às 9h, na Casa das Famílias, situada a Avenida Santa Luzia, nº 1000, próximo ao Centro Comercial. Na ocasião serão abordados temas de interesse do desporto local. Quais sejam:

1. Torneio de inauguração do Estádio Municipal de Futebol;
2. Campeonato Municipal de Futebol;
3. Criação do calendário desportivo do município;
4. Formação da Liga Desportiva do município;
5. Outros assuntos de relevante interesse.

Atenciosamente,

Manoel Targino Junior
Coordenador de Esportes e Lazer