11 de abr de 2013

ENTREVISTA

ELÓI CATARINO

"Quando temos saúde, temos tudo"
No último sábado (6), o Blog esteve no povoado de Acauã e conversou com um dos seus mais antigos moradores, o Sr. Elói Catarino (foto). Homem simples e de frases curtas, Seu Elói se revela, acima de tudo, um lutador pela vida... Confira.

SOBRE A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA

A falta oportunidades sempre impediu o desenvolvimento do homem do campo
Prestes a completar 80 anos, o poço-branquense Elói Catarino respira momentos de lucidez e visão crítica surpreendentes para um homem que viveu toda a vida longe dos bancos escolares. Ao falar de sua infância, em especial, Seu Elói se mostrou reticente em revelar detalhes. Afirmou que quase não teve infância, pois todo filho homem tinha que trabalhar para ajudar no sustento da família. Diz não ter passado fome, mas descreveu cenários de muito sofrimento, trabalho pesado e poucas opções de lazer e entretenimento. Na sua infância e adolescência, a diversão não era mais do que brincar na beira do Rio Ceará Mirim...

SOBRE OS MODOS DE VIDA

Ao chegar a meia idade, Seu Elói já era pai e foi nessa época que todo o antigo povoado da Acauã migrou para a atual localização – em decorrência da construção da Barragem de Poço Branco. Seu Elói afirmou não lembrar quantos migraram, mas poderiam ser umas 15 famílias - mais ou menos. Eram uma só família em que todos trabalhavam muito, de sol a sol... A agricultura era a atividade principal dos moradores da Acauã e a maioria não tinha um chão de terra prórpio. “Era preciso trabalhar alugado nas terras dos fazendeiros para ajudar no sustento... Nós não tinhámos outras oportunidades”, esclareceu.

Hoje em ruínas, a Fazenda de Joaquim Amaro foi local de trabalho de muitos
A vida social da comunidade era restrita a algumas poucas festas, como a brincadeira de reis (o Boi de Reis) e outras atividades culturais que caíram no esquecimento desde então. Segundo Seu Elói, o trabalho tomava muito tempo e a noite era só para dormir e descansar. Por muitos anos ele não soube o que era energia elétrica, TV, etc... Sobre a relação entre pais e filhos, Seu Elói descreveu que os netos, irmãos, sobrinhos e outros parentes eram todos tratados como filhos para que uma família pudesse ajudar a outra naquilo que faltasse. “Havia muito respeito aos mais velhos e isso eu não vejo mais faz tempo...”, confessa o ancião.

SOBRE AS REALIZAÇÕES

Elói Catarino diz ter vivido sempre do trabalho honesto, com muita luta a cada dia e sempre tendo o que comer – o mais importante para ele. Disse ainda que, no passado, as pessoas não precisavam de muito coisa para viver, mas que hoje fazem questão em ter posses materiais que não dão sentido a vida... Seu Elói afirmou que se pudesse voltar no tempo teria estudado, pois teria uma vida melhor hoje. Disse ainda que um dos seus orgulhos foi ter sido líder do povoado da Acauã por tanto tempo (ao lado de irmãos e primos) - o que, de certa forma, ajudou a guiar e ensinar os mais novos.

SOBRE AS SAUDADES 

A maior de todas as saudades de Elói Catarino é sua família (pais e irmãos) e os amigos da infância e adolescência. “A gente tinha amigos de verdade, como o seu pai. Ali era um amigão de verdade. Ele vinha aqui sempre que a gente precisava. Ele deu muita injeção nesses meninos daqui...”. Seu Elói ainda se mostrou emocionado ao saber que o nome do Hospital Municipal de Poço Branco é do seu amigo Manoel Caju... Ele também disse sentir saudades do tempo em que podia dançar, trabalhar e tinha uma saúde de ferro. “A saúde é a melhor coisa que existe. Eu sinto saudade do tempo que eu era jovem e tinha saúde”.

AS PERSPECTIVAS PARA POÇO BRANCO

Saneamento básico é um assunto que Elói Catarino desconhece
Para Elói Catarino esse assunto é bastante complicado de falar. Ele acredita que cada tempo teve as suas dificuldades e, mesmo usando poucas palavras, imagina que problemas e tempos ruins sempre existiram e vão sempre existir na humanidade. Em relação a sua terra ele acredita que muitas coisas melhoraram - especialmente as ações do governo federal, mas a segurança e a saúde precisam de mais atenção. Seu Elói finalizou dizendo que as pessoas precisam mudar de atitude em muitas coisas, precisam ter mais fé e que as drogas são “a peste do mundo por levarem tanto sofrimento as famílias.

2 comentários:

Helio disse...

Beleza de materia sob as pessoa de bem de poço branco. Valeu amigo por dar valor não só aos ricos e político como todos blog faz hoje. Esse é o blogui que tem a cara de poco branco. Parabeins .

Anônimo disse...

Sensacional, pena que os blog de hoje só sirvao pra puxar o sacos de políticos. Esse blog e do bem