21 de jun de 2011

ÚLTIMAS DO BLOG

O FEIJÃO E O MILHO


As chuvas vieram e trouxeram a maior alegria do povo nordestino. Apesar de ter trazido também as já anunciadas tragédias, em algumas partes do nordeste, as chuvas encheram açudes e trouxeram a bonança aos roçados. Mesmo se tratando de culturas de subsistências, o milho e o feijão verde deixarão o São João do nordeste muito mais animado. São José, São João e São Pedro ajudaram e a maioria dos agricultores está feliz pela colheita anunciada até o final deste mês. Viva!

ARRAIÁS

As Bernadetes

Um grupo de amigos, tendo como organizadora a educadora Doriana Luiza, promete fazer uma justa homenagem ao saudoso José Bernardo. Na próxima sexta-feira (24) a quadrilha “As Virgens de Bernadete” reviverá um pouco da memória de um dos maiores folcloristas poçobranquenses. Para Doriana “esta será uma maneira de reviver a memória do nosso amigo Bernardo. Pretendemos continuar o trabalho dele nos próximos anos e, como participante das virgens, sinto falta dessa festa. É como se o nosso São João estivesse incompleto sem a presença das Virgens de Bernardo. É uma forma de homenagear Bernardo e manter viva esta cultura”.

Arraiá da Vila 2011


Hatmo 2011


III JORNADA DA SAÚDE


Esta não é uma realidade apenas de Poço Branco, mas a comunidade sempre teve que lutar para melhorar os serviços públicos de uma forma geral e nunca foi fácil enfrentar esta realidade. Os avanços conquistados nos últimos anos são frutos da soma de esforços e dedicação da população, servidores e também dos governantes, mas, infelizmente, ainda estamos longe do atendimento e dos serviços que precisamos. Ainda é comum ver muita gente deixar de ter acesso à informação para prevenir e curar doenças, ter que enfrentar filas e esperar horas, dias, meses... Em muitos casos, simplesmente não se encontra as vagas no sistema público ou a rápida resposta que deveria existir. Há morosidade e burocracia de sobra.

Infelizmente isso faz parte do dia-a-dia de centenas de municípios do país, independente de quem sejam os seus gestores, e alimenta a indústria dos aproveitadores e de quem se beneficia com ela – por incrível que pareça. Para mudar esta realidade não basta apenas reclamar ou fazer politicagem. É preciso “arregaçar as mangas”, ajudar de alguma forma e buscar as saídas para tantos graves problemas - mesmo que seja através do conhecido e ineficaz “assistencialismo”. A participação da comunidade (através de movimentos sociais, controle social, etc.) é muito importante para que as chamadas “políticas públicas de Saúde” saiam do papel e possam dar maior dinamismo e efetividade à assistência pública.

Neste sentido o município de Poço Branco também participará deste momento importante. A Secretaria Municipal de Saúde realizará a sua III Conferência Municipal de Saúde sob o tema “Todos usam o SUS – SUS na Seguridade Social, Política Pública e Patrimônio do Povo Brasileiro” que acontecerá no dia 07 de julho, das 7h às 15h30. Juntos, autoridades e comunidade elaborarão propostas que serão levadas à etapa estadual – a ser realizada nos dias 27, 28 e 29 de setembro, em Natal. Todos empenhados por uma saúde melhor para todos: esta é a meta almejada.

O MAL DO SÉCULO


O aumento progressivo do acesso de menores às drogas tem sido tema de muitas discussões no âmbito dos três poderes federados, mas as ações práticas parecem invisíveis. O maior dos problemas atuais é que as drogas do momento (crack, maconha e oxi) estão cada vez mais “acessíveis” e estão destruindo o seio de muitas famílias de baixa renda – exatamente aquelas que dificilmente terão condições de reagir à altura. Para piorar, ainda há muita resistência das próprias famílias em enfrentar esta luta. Quando não há medo, há vergonha de se expor e a lei do silêncio é o que faz valer.

Atualmente não há muitas opções para a sociedade. Não há mais como ficar inerte, pois as consequências naturais deste avanço serão a formação de cidadãos marginalizados, dependentes químicos e a pior de todas: o aumento do exército do crime que trará reflexos diretos na vida cotidiana de qualquer cidade. Com o ainda presente jogo de empurra-empurra (entre quem tem a obrigação legal de agir) o tempo vai passando e adicionando novas vitimas, até que uma delas seja um de nós. Pode haver outras saídas, mas uma delas certamente será a participação efetiva da população – a mais vitimada por este terrível mal... Não é mais possível fechar os olhos e fingir que tudo está normal. Esta realidade também está escancarada nas ruas do nosso querido município.

REALIDADE?

No Rio de Janeiro alguma coisa está errada nestas contas. O que será?

Soldado do Bope - R$ 2.260 para arriscar a vida;
Soldado Bombeiro - R$ 960 para salvar vidas;
Professor - R$ 728 para preparar para uma vida;
Médico - R$ 1.260 para manter uma vida;
E um Deputado ou Senador - R$ 26.700 pra quê?

Um comentário:

Edinho disse...

Belíssima escolha da matéria, Daniel. Enfoca um tema social da mais alta gravidade: as drogas.É realmente preciso uma mobilização total para implementação de políticas públicas preventivas e mais efetivas no combate a essas "chagas" que assola todo o mundo e, infelizmente, denossa querida cidade Poço Branco.O problema é muito sério, muito grave e precisa ser profundamente debatido para buscas soluções de curto prazo.Creio que uma nova audiência pública para debater o tema, identificar suas raízes e reunir soluções , seja um bom começo para tentar atenuar o problema em nosso muncicípio.

Parabéns pela excelente redação sobre tal tema- em particular, a parte final do texto que comenta o salário dos profissionais. Muito bom!!!

EDINHO.