7 de jan de 2011

ÚLTIMAS DO BLOG

COMEÇA O ANO

Barragem sangrando em 2009.
Os primeiros dias de 2011 transcorreram em clima de harmonia e tranquilidade no município de Poço Branco. Isso porque, como na maior parte das pequenas cidades, as festividades natalinas e de reveillon são muito mais encontros familiares do que eventos públicos. Os mais de 13 mil habitantes não sentiram nenhuma grande mudança com a chegada do novo ano e, ao que parece, o ano ainda não começou para muitos.

Contudo, o “cartão de visita” de 2011 tem sido o início do período das chuvas no município. A possibilidade de um bom inverno já é uma realidade para os cientistas do tempo e tem deixado o homem do campo de Poço Branco satisfeito, ao passo que também o faz comedido. Em 2010, o inverno chegou com intensidade e ocasião inesperadas e o resultado contabilizou muitas perdas nas lavouras (tanto para agricultores, como para criadores). O agricultor poçobranquense, Francisco Rosendo, resume o inverno ideal como sendo um período de chuvas curtas, mas que ocorram durante toda a estação. Assim, a terra não fica encharcada e a colheita é boa.

Se para os agricultores a chuva necessita ser moderada, para pescadores e ambulantes “quanto mais, melhor”: até certo ponto, é claro. A possibilidade de cheias e da sangria da Barragem José Batista do Rego Pereira anima este segmento econômico - que sempre viu sua produtividade e faturamento crescerem nestes períodos. As últimas sangrias da barragem ocorreram em agosto/2008 e abril/2009 (foto acima). Desde então, a população residente, os filhos distantes e até moradores de cidades vizinhas esperam a chegada de um novo inverno que faça a Barragem de Poço Branco transbordar.

PÉROLAS DE POÇO BRANCO

O Sr. Manoel Rosendo não dirigia seu Chevrolet/58 (com duas boléias) há muitos anos, mas era metido a mecânico: os pregos nas estradas eram constantes. No caminho pro Inhandú o carrão quebrou e, já perdendo a paciência, o velho pediu uma chave 9/16 a seu neto (Lula Rosendo). Lula dirigia para o avô e pegou uma chave 5/16. “Não, essa não”, irritou-se Seu Manoel. Lula, teimoso que era disse: “Homi, isso é a mesma coisa”. O velho perdeu as estribeiras e partiu para a ignorância: “A mesma coisa é uma estaca melada no meio e cagada nas duas pontas”. Ali mesmo, a discussão acabou.

No tempo das “vacas magras” somente Nelson Bento fazia um frete, em Poço Branco. Mas dependia se ele já não estivesse ébrio... Eis que, numa noite de sábado, Festa de Reis, em Taipu, uma turma de liso (entre eles, eu) queria chegar cedo ao Batistão Clube. Nelson Bento se encontrava no Cabo da Faca, um bar local, curtindo a noitada... Muita chuva e trovão atravessavam a noite poçobranquense e nem mesmo Itamar Bililico, acostumado a ir a pé pra todo canto, tinha coragem de enfrentar a escuridão e a chuva forte. O jeito era acordar o caminhoneiro Raimundo Gago. E rezar pra ele nos atender. Ailson de Lalada e Jailson Caxiado correram pra casa do Gago e logo lhe pediram, de joelhos, para fretar o seu caminhão. O Gago disse umas duzentas palavras e os cabras não entenderam nada. Solução: os dois foram acordar Toinho de Maria Viúva para ser o intérprete na conversa. Quem conhece Toinho sabe por que a viagem deu certo...

NOMEAÇÕES

Tempos atrás, a mudança no executivo potiguar movimentava bastante o círculo político poçobranquense. Hoje, as nomeações para cargos de confiança, na esfera estadual, praticamente não existem no município. Atualmente, os diretores e vice-diretores escolares são eleitos e a maioria dos escritórios regionais foi extinta. Assim, a nível local, o desempenho eleitoral das lideranças políticas não gera nenhuma barganha – exceto quando é feita em outros municípios.

A nomeação para cargos de confiança regionais (como as direções da Central do Cidadão, 16ª Dired, Central do Trabalhador, DER, Emater-RN, Hospital Regional, III Ursap e  Casa da Cultura, dentre outros) geram uma disputa totalmente centralizada nas cidades pólo. É o caso de Ceará Mirim e João Câmara, onde o momento é de “boataria e de queda de braço político”. Apesar do pouco falatório local, os ex-prefeitos de Poço Branco, Roberto Lucas e João Maria de Góis, deverão dividir os espaços a nível estadual com uma ou outra indicação. Quanto a quem serão os “privilegiados”... Só o Diário Oficial do Estado dirá (ou não).

FÁTIMA RECEBE PRÊMIO


Pelos serviços prestados a educação potiguar, especialmente a contribuição dada ao crescimento do ensino técnico no RN, através dos IFRN’s, a deputada federal Fátima Bezerra recebeu a Medalha Nilo Peçanha. A honraria, oferecida pelo Ministério da Educação (MEC), contou com as presenças do poçobranquense Belchior de Oliveira Rocha, reitor do IFRN, professores e servidores do IFRN e dos prefeitos de Parnamirim (Maurício Marques), de São Gonçalo do Amarante (Jaime Calado) e de Parelhas (Francisco Medeiros).

4 comentários:

gustavo_dantas disse...

Daniel,
Muitos do que visitam o blog talvez não entendam as histórias contadas por você, mas pode ter certeza que estas serão sempre bem vindas.
Sentia falta deste tipo de postagem aqui. Quando conversamos com você pessoalmente sempre acontece aquele momento nostalgia em que muitas histórias, a maioria hilária, são contadas. Recontá-las aqui é reviver um pouco de Poço Branco.
Sei que você tem muito mais histórias pra contar. Espero que as publique!!!

Gustavo Miranda

rodrigo disse...

É isso aí! Faço das minhas as palavras de meu amigo Gustavo. kkkkkkkkkkkkkkk, conheço bem Toinho, mas até agora to me perguntando o que danado ele fez... ???? Manda pro meu email o final da história... kkk abraços amigo.

aurino disse...

gostaria de saber auguma coisa do sequestro de uma menina no contador foi verdade ou nao?

Flavio disse...

Olá Daniel.O povo quer saber e eu muito mais, o que que Toinho fez?