7 de fev de 2013

ÚLTIMAS DO BLOG

TRADIÇÃO MANTIDA

Festa recebeu mais de cem ônibus de outras cidades
Localizada na região agreste do Estado, o município de Espirito Santo, mantém suas tradições sem esquecer a modernidade. Com pouco mais de 10 mil habitantes, Espírito Santo realiza uma das mais importantes festas de padroeiro do interior potiguar, priorizando suas tradições e festividades gratuitas para sua população e outros milhares de visitantes.

Vice-governador, Robinson Faria, e Junior Caju
Assim como a festa religiosa, a festa profana atrai multidões para as dez noites de festa. Atrações locais, regionais e até nacionais se revezam no palco principal e em outras áreas que compõem a estrutura do evento. A tradicional procissão, a “broa”, o comércio tradicional e o de ambulantes e a presença de muitos visitantes de outras cidades são apenas alguns diferenciais da festa de Nossa Senhora da Piedade.

Fé e tradição se encontram em Espírito Santo-RN
Numa época em que nas festas juninas quase não se ouve o forró original, em que no Carnaval é quase proibido dar espaço ao frevo e as marchinhas, as tradições vêm sendo deixadas de lado numa velocidade impressionante... Graças a Deus em Espírito Santo a festa ainda é do povo. E para o povo.

JORNADA 2013

Dorinha Menezes
Motivar e qualificar constantemente o corpo docente da rede municipal de ensino é mais que uma bandeira da Educação: é um desafio diário. Foi sob esse tema que a Secretaria Municipal de Educação e Cultura iniciou, nesta quarta-feira (6), a Jornada Pedagógica de 2013. Durante dois dias os integrantes do quadro de professores e auxiliares discutirão as prioridades para o ano letivo municipal – previsto para iniciar em 18 de fevereiro.

Almoço para os participantes
Para a secretária de Educação, Dorinha Menezes, “é preciso viver, na prática, um pacto entre alunos, professores e seus pais para poder construir um futuro de qualidade que as crianças e jovens poço-branquenses tanto merecem”. A secretária também lembrou que a Educação de Poço Branco tem evoluído positivamente nos últimos anos, bastando ver o crescimento do IDEB municipal e que isso não diminui o desafio de “educar a cada dia, cada vez melhor”.

Zé Teixeira, do sindicato dos professores do RN
Também participaram do evento servidores municipais, alunos, secretárias de outras pastas, Zé Teixeira (Sinte-RN), o vereador Kléber Fidélis e o prefeito do município que aproveitou para anunciar algumas mudanças propostas para a Educação em 2013, além do tão esperado plano de cargos da Educação.

Edivãnia, aluna poço-branquense laureada na OBMEP
Representando os demais, os alunos Edivânia de Melo Silva, Luana Ferreira e José Alencar da Silva, todos residentes na zona rural do município, foram homenageados pelos seus feitos em prol da valorização da comunidade escolar poço-branquense.

Professores 'nota 10' de Poço Branco
Mas ninguém brilhou mais na jornada do que as figuras mais importantes nesse tipo de acontecimento: os professores. Heróis do dia a dia e formadores do futuro da nação, os professores sempre foram conhecidos por clamar apenas por melhores condições de trabalho e salários. Hoje, além de clamarem por mais dignidade e respeito eles absorvem melhor as suas obrigações profissionais. E o resultado desta dedicação e luta é que, atualmente, Poço Branco possui um dos mais capacitados corpos funcionais da região do Mato grande.

A CÂMARA DE VEREADORES

Foto: Blog de Leonardo Souza
Mais um ano legislativo começou em Poço Branco na noite da última terça-feira (5), quando foi iniciada a legislatura 2013-2016. E mais uma vez a população da cidade não mostrou interesse pelos temas discutidos na casa que abriga os seus legítimos representantes. O consolo é que ainda é o começo, que essa realidade poderá mudar. Porém, a primeira impressão foi negativa.

Este não é um fenômeno exclusivo de Poço Branco. Em muitas cidades o desinteresse da população por temas do legislativo é tão natural que as pessoas nem sentem falta dos vereadores. Segundo levantamento do Jornal Folha de São Paulo (em 2008), o dia e o horário das sessões é um dos motivos mais alegados para o desinteresse da população. Outro motivo alegado são as construções da maioria das Câmaras: há pouco espaço interno e as galerias possuem poucos assentos.

Mas são os assuntos discutidos em plenário (e suas consequências) o que mais afasta as pessoas das sessões. Segundo pesquisa realizada e divulgada pelo site Congresso em Foco (em 2009), em 54 cidades brasileiras, a população não confia nos representantes que escolhe e acredita que os edis pouco pensam na população antes de tomar alguma decisão – exceto em período pré-eleitoral, é claro. A população avaliada também acredita que os parlamentares não fazem nenhuma questão em incentivar a presença do povo, tornando as reuniões quase secretas.

Essa pesquisa também revelou que a maioria dos vereadores faz muita publicidade dos projetos que encaminha ao Executivo, mas quase não divulga sobre investigações ou fiscalizações que eventualmente exerçam junto a este poder. E quando indagados sobre uma palavra que melhor defina o poder legislativo em sua cidade, a maioria dos entrevistados (63%) escolheu a palavra “corrupção”.

COMENTÁRIO DO BLOG

Sobre vereadores, atuação parlamentar e sessões das Câmaras é injusto generalizar, mas é certo que – até pela forma como a maioria deles consegue se eleger - muitos vereadores são “forçados” a legislar em causa própria; outros esquecem a própria lógica das coisas e a maioria (no fundo, no fundo) acredita que a população não tem memória...

Para se avaliar um vereador não existe uma equação matemática pronta. Esta avaliação talvez não passe de um julgamento pessoal, pois se não é fácil avaliar positivamente alguém por quem não temos qualquer afinidade (ou criticar negativamente alguém da nossa intimidade), imagine fazer o mesmo por uma pessoa que, em muitos casos, somente veremos daqui a quatro anos. E tudo isso piora quando não sabemos mais “quem é água e quem é vinho”...

De certo: convencer as pessoas a participar de reuniões das Câmaras de Vereadores não é fácil. A não ser que elas sejam verdadeiros Big Brother ou ringues de UFC, poucas serão as pessoas que sairão de suas casas (abrindo mão da novela das oito, do futebol ou do programa religioso) para ouvir vereadores. Talvez elas participassem mais ativamente das sessões se recebessem uma cesta básica por cada sessão. Ou quem sabe uma prótese, um botijão de gás, alguns reais, um milheiro de tijolos/telhas, outros brindes, etc. Talvez assim as pessoas se interessassem mais... Talvez.


2 comentários:

Elson disse...

Sabemos o que cada vereador quer né Daniel, pena que não ezistao mas homens de confiança não política. E eles ainda axam ruim qdo alguem fala alguma coisa. Gostei do comentário aí, era bom mesmo que o povo fosse pra reuniao dos vereador.

Anônimo disse...

JA A FESTA DE PADROEIRO DE POCO BRANCO SE ACABOU. VIROU UMA FESTINHA......